Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 09 de Outubro de 2019 às 09h06

Anvisa amplia aprovação de insulina ultrarrápida para crianças e adolescentes com diabetes

Nova insulina ultrarrápida chega duas vezes mais rápido ao sangue que insulinas convencionais, permitindo a aplicação na hora ou até 20 minutos após o início da refeição

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão vinculado ao Ministério da Saúde responsável pela regulamentação de medicamentos no Brasil, aprovou uma nova insulina ultrarrápida também para o tratamento de crianças e adolescentes com diabetes. A ampliação para uso pediátrico da insulina asparte de ação ultrarrápida, nomeada comercialmente como Fiasp®, possibilita seu uso a partir de um ano de idade. O medicamento deverá ser lançado no Brasil no primeiro semestre de 2020 pela Novo Nordisk.

De acordo com o gerente médico da empresa, Dr. André Bressan, uma formulação inovadora da insulina asparte (NovoRapid®), torna Fiasp® um medicamento que chega duas vezes mais rápido ao sangue. Dessa forma, é considerado o composto análogo que chega mais perto de emular a ação insulínica do pâncreas das pessoas sem diabetes. Assim, podendo ser aplicada no momento da refeição e permitindo o controle glicêmico adequado precocemente, com menor risco de hipoglicemia por uma eventual demora da refeição ou desproporção do prato e da dose administrada.

Insulina ultrarrápida
?Com as insulinas disponíveis no mercado hoje, esse processo precisa ser feito com uma antecedência maior, de 15 a 30 minutos antes de comer. Isso traz dificuldades para a rotina das pessoas com diabetes, que precisam planejar cuidadosamente quando, quanto e o que irão comer para o cálculo prévio da insulina. Com a ação ultrarrápida, a aplicação no momento da refeição ou até 20 minutos após o início da refeição se torna uma realidade. Dessa forma, diminuindo a complexidade da rotina de tratamento?, explica Bressan.

?Pais de crianças com diabetes relatam que o momento de alimentação é uma das áreas mais problemáticas para controle da glicemia. Já para os adolescentes, o hábito de pular as refeições e de petiscar também constitui um desafio para o gerenciamento do diabetes. Esperamos poder facilitar essas rotinas com Fiasp®. Assim, trazendo mais facilidade e flexibilidade para que esses pacientes e seus cuidadores alcancem um melhor controle?, acrescenta o médico.

A liberação para uso pediátrico tem como base os achados do estudo Onset 7, que investigou a eficácia e segurança de Fiasp® em comparação à insulina asparte convencional (NovoRapid®). Durante o estudo, os pesquisadores constataram que a insulina ultrarrápida reduziu o número de incidentes de hipoglicemia (queda do nível de açúcar no sangue). Mais que isso, a insulina ultrarrapida também permitiu que uma parcela maior de pacientes pudesse alcançar a meta de controle glicêmico.

Fonte: Novo Nordisk

Veja também

Venda de medicamentos da Abradilan cresce 7% nos oito primeiros meses do ano23/10/19 Nos primeiros oito meses de 2019, os associados da Abradilan totalizaram vendas de R$ 3,9 bilhões, representando um crescimento de 7% Nos oito primeiros meses de 2019, os associados da Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), entidade que reúne 138 empresas distribuidoras de medicamentos e produtos de higiene pessoal e cosméticos (HPC), totalizaram R$ 3,9 bilhões em......
Enxaqueca: primeiro tratamento específico contra ela chega ao Brasil26/03/19 O remédio promete reduzir o número e a intensidade das crises de dor de cabeça ? e trazer menos reações adversas que os tratamentos atuais. Embora atinja uma a cada sete pessoas, a enxaqueca não tinha no Brasil um tratamento específico ? as drogas......
Pediatra da Fiocruz orienta sobre tratamento da bronquiolite14/05/19 A bronquiolite, inflamação dos bronquíolos (parte final dos brônquios), atinge principalmente os bebês menores de dois anos e é mais comum no inverno. Nos primeiros anos de vida, o sistema imunológico ainda é imaturo, o que torna as crianças mais suscetíveis......

Voltar para Notícias