Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 22 de Março às 08h49

Aprovada nova opção de tratamento para o câncer

Produto é o primeiro biossimilar do bevacizumabe a ser registrado no Brasil

Mais uma opção de tratamento para o câncer passa a estar disponível no mercado. É que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta segunda-feira (11), o registro do medicamento biológico Mvasi (bevacizumabe).

O produto é o primeiro medicamento biossimilar do bevacizumabe a ser registrado no Brasil e teve seu registro concedido pela via de desenvolvimento por comparabilidade, de acordo com a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 55/2010. O medicamento Avastin foi utilizado como comparador.

Assim, o Mvasi promete ser mais uma opção de tratamento do câncer em diversas esferas. Entre eles:

-> Câncer colorretal metastático (CCRm);
-> Câncer de pulmão de não pequenas células localmente avançado, metastático ou recorrente (CPNPC);
-> Câncer de mama metastático ou localmente recorrente (CMM);
-> Câncer de células renais metastático e/ou avançado (mRCC);
-> Câncer epitelial de ovário, tuba uterina e peritoneal primário;
-> Câncer de colo do útero.

Entenda os biossimilares


Os produtos biossimilares são aqueles biológicos registrados pela via de desenvolvimento por comparabilidade entre o produto desenvolvido para ser comparável e o produto biológico comparador, em termos de qualidade, eficácia e segurança.

A legislação utilizada para o registro de biossimilares no Brasil é a RDC 55/2010. Devem ser apresentados, entre outros requisitos, informações suficientes para predizer se as diferenças detectadas nos atributos de qualidade entre os produtos resultam em impactos adversos na segurança e na eficácia do biossimilar.

Fonte: Guia da Farmácia

Link: https://guiadafarmacia.com.br/nova-opcao-de-tratamento-para-cancer/

Veja também

Medicamento falso para autismo é retirado do mercado30/04 Produto químico corrosivo vem sendo oferecido como tratamento para diversas doenças. Na sexta-feira (26/4), a Anvisa fiscalizou e retirou anúncios da internet do produto dióxido de cloro, também comercializado com a sigla MMS. O motivo é a alegação de propriedades terapêuticas para uma substância química que não tem qualquer comprovação de segurança para uso em humanos. Desde junho de 2018, a Agência proíbe a......
Lei geral de proteção de dados obriga farmácias a se adequarem08/07 A implementação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) deve ocorrer com urgência nas empresas da área da saúde devido ao caráter de suas informações Entrará em vigor em agosto de 2020 a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e sua......
Pesquisadores querem saber se vírus Mayaro está em circulação no Rio20/05 Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram que outra arbovirose, com sintomas parecidos com os da febre chikungunya, circulou em Niterói, na região metropolitana do Rio, em 2016. A descoberta dos cientistas acendeu o alerta......

Voltar para Notícias