Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 08 de Julho às 08h08

Brasil consome 56,6 milhões de caixas de calmantes e soníferos

Em 2018, vendeu-se o equivalente a 1,4 bilhão de comprimidos de apenas oito princípios ativos

Os brasileiros compraram, em 2018, mais de 56,6 milhões de caixas de medicamentos calmantes e soníferos. Sendo assim, mais de 6 mil caixas vendidas por hora ou, aproximadamente, 1,4 bilhão de comprimidos em um ano.

Os números são do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os oito princípios ativos para ansiedade e insônia, que estão entre os mais receitados pelos médicos são:

Alprazolam
Bromazepam
Clonazepam
Diazepam
Lorazepam
Flunitrazepam
Midazolam
Zolpidem

Os números se referem apenas ao que foi vendido em farmácias e drogarias de natureza privada entre 2011 e 2018. Em oito anos, as vendas desses oito medicamentos somaram mais de 505 milhões de caixas.

Pico de consumo de medicamentos calmantes e soníferos em 2015
O ano de 2015 registrou recorde de consumo, com 76,2 milhões de caixas vendidas ? excluindo o zolpidem, foram 70,8 milhões de caixas de ansiolíticos.

Para o psiquiatra e diretor dos ambulatórios do Instituto de Psiquiatria (Ipq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), Rodrigo Martins Leite, mesmo que o consumo atual tenha caído em relação a 2015, o número divulgado pela Anvisa ainda é significativo.

O médico, que foi coordenador municipal de Saúde Mental em São Paulo, em 2017, relaciona o aumento das vendas de psicotrópicos em 2015 ao início da crise econômica que o Brasil enfrentou. Ou seja, o aumento do desemprego e problemas decorrentes disso mexem com a estabilidade emocional da população.

Para Leite, ?os momentos sociais ruins fazem com que as pessoas também tenham uma percepção pior da saúde mental?. O medicamento, diz ele, ?é a saída mais rápida?.

Não há pesquisas oficiais recentes no Brasil que possam estimar quantos brasileiros fazem uso contínuo de calmantes e soníferos.

Estudos anteriores a 2013 calculavam que entre 5,6% e 21% da população brasileira fizesse uso de benzodiazepínicos, sendo mais frequente em mulheres e idosos, segundo a Associação Médica Brasileira (AMB).

Fonte: www.r7.com

Veja também

Idosos que tomam vitamina D têm melhor memória, mas maior risco de queda15/03 Um estudo feito com mulheres idosas mostrou que a ingestão de três doses de vitamina D a mais do que a recomendação diária provocou uma melhora na memória e no aprendizado das voluntárias, mas piorou o tempo de reação delas. Os pesquisadores acreditam que tempo de reação mais lento pode aumentar o risco de queda entre os idosos. Com o consumo da vitamina D em alta entre idosos, a pesquisa, publicada no periódico......
Medicamentos para hipertensão ganham novas regras após recolhimento17/05 Anvisa aprovou um novo regulamento sobre impurezas do tipo nitrosaminas A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta terça-feira (14), um novo regulamento sobre impurezas do tipo nitrosaminas em medicamentos......
O app de quem não tem plano22/05 Pelos cálculos do Minis-tério da Saúde, uma consulta médica pelo SUS pode demorar mais de 12 meses em várias regiões do País. Ao descobrir isso, o empresário Felipe Burattini decidiu criar uma plataforma com o objetivo desburocratizar a saúde. Foi aí que......

Voltar para Notícias