Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 11 de Julho de 2019 às 08h14

Economia em medicamentos: pesquisa aponta busca por opções mais baratas

Os clientes das farmácias estão cada vez mais aceitando os medicamentos genéricos. Esse é o resultado de uma pesquisa recente realizada pelo IFEPEC (Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa) em parceria com a Unicamp com 4.000 consumidores de farmácias em todo o país,

Segundo as respostas dos consumidores, 63,45% dos entrevistados compraram pelo menos uma unidade de genérico. Porém, os de marca continuam na preferência dos clientes, sendo que 63,55% compraram pelo menos uma unidade de marca.

Nos casos em que as pessoas adquiriram apenas um tipo de medicamento, o produto de marca volta a se destacar com 27,20% comprando apenas esse tipo de produto. Já 23,53% optaram apenas por genéricos e 4,60% por não medicamentos.

?Observa-se nesse ponto um aspecto interessante desse mercado, que é o crescimento dos genéricos, porém ainda se tem uma força contínua dos medicamentos de marca. Também se observa que a aquisição de não medicamentos normalmente vem associada a aquisição de medicamentos?, explica Edison Tamascia, presidente da Febrafar, entidade que solicitou a pesquisa.

Motivação é preço
Dentre os motivos do destaque desses medicamentos, com certeza está o preço. Na mesma pesquisa os consumidores ao serem questionados sobre quais os critérios de escolha de uma farmácia, ficou bem claro que o bolso e a comodidade são fatores primordiais na decisão, deixando vários outros de lado.

Dos entrevistados: 64,95% afirmaram acreditar que as farmácias onde efetuaram suas compras praticam preços mais baixos que os concorrentes e 24,50% apontaram a localização como fator importante para a escolha. Além desses fatores, foram considerados também: o estoque (6,25%), a facilidade de estacionar (1,58%), possuir atendimento da Farmácia Popular (1,35%) e o bom atendimento (0,88%).

Sobre a pesquisa

A Pesquisa de Comportamento do Cliente na Farmácia 2019 foi coordenada pelo IFEPEC (Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa) em parceria com o NEIT ? Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia, do Instituto de Economia da Unicamp, entrevistou 4 mil clientes.

Estes foram selecionados de acordo com os agrupamentos do mercado farmacêutico, isto é: Abrafarma, Outras Redes Corporativas, Febrafar, Outros Agrupamentos e Farmácias do segmento Independentes. Os clientes foram entrevistados no momento que saíam das farmácias nas quais efetuaram a compra.

Fonte: Blog do Wagner Gil

Veja também

Como lidar com as aftas27/08/19 Pequenas feridas que incomodam bastante! Assim são as aftas. Bem dolorosas, elas aparecem na boca, mais comumente nas mucosas dos lábios, língua e bochechas. Uma das características clínicas mais aparente é ser uma ferida recoberta por uma membrana amarelo-acinzentada, envolvida por um halo vermelho, cicatrizando em até 14 dias, normalmente. Para orientar como tratar esse problema de saúde que, apesar de não ser......
Obesidade aumenta risco de câncer no pâncreas, segundo pesquisa03/04/19 Estudo norte-americano é o primeiro a mostrar uma associação sólida entre acúmulo de gordura corporal e mortalidade por um tipo agressivo de tumor Aumentou a lista dos tipos de câncer associados à obesidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS),......
Cortar comprimidos ao meio pode trazer sérios riscos à saúde02/09/19 O hábito comum de cortar comprimidos ao meio pode trazer sérios riscos à saúde e provocar até intoxicação Cortar medicamentos ou modificar a forma do comprimido ou cápsula são práticas que podem ser prejudiciais à saúde. Tal atitude pode interferir no......

Voltar para Notícias