Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 15 de Abril às 10h20

Justiça garante atuação do farmacêutico na citologia clínica

A partir de agora, laudos realizados por esses profissionais devem ser aceitados

O Conselho Federal de Medicina (CFM) deve se abster de impor restrição à atuação do farmacêutico na citologia clínica. Essa é a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em processo com trânsito em julgado em 10/04/2019 (ou seja, não cabe mais recurso). Citologia é a área responsável pelo estudo da estrutura e funcionamento das células humanas.

Na decisão, o TRF1 manteve o entendimento de inconstitucionalidade dos artigos 7º, 8º e 9º, da Resolução CFM nº 1823/2007, que tratavam do assunto, e reiterou a determinação que aquele conselho se abstenha de proibir a aceitação de laudos realizados por farmacêutico, bem como de não reconhecer e/ou não aceitar exames de análises clínicas assinados e/ou sob responsabilidade de farmacêutico.
O presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter da Silva Jorge João, reforça a importância de mais uma vitória para a categoria farmacêutica no âmbito da citologia clínica, ressaltando que não limitará esforços em garantir o exercício profissional farmacêutico conforme a sua formação acadêmica e previsão legal.

Fonte: CFF/Guia da Farmácia
Link: https://guiadafarmacia.com.br/justica-garante-atuacao-do-farmaceutico-na-citologia-clinica/

Veja também

Comissão de Defesa do Consumidor debate eficiência dos genéricos21/05 Discussão acontece na semana em que esses medicamentos completam 20 anos no País Hoje (20), os genéricos completam 20 anos no mercado, com muitos números a celebrar. Segundo dados do IQVIA, a categoria representa pouco mais de um terço de todo o mercado de medicamentos em unidades (33,9%). Em 2015, esse número atingia 27,4%. Em faturamento, movimentam R$ 28,4 bilhões no último ano, alta de 69% no comparativo com......
Estilo de vida é fator determinante para manter a saúde do coração29/03 A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 80% das mortes por doenças cardíacas no mundo seriam evitadas apenas com mudanças no estilo de vida. “Tirando as doenças congênitas, os outros males que acometem o coração e podem culminar em insuficiência......

Voltar para Notícias