Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 11 de Abril às 08h03

Mitos e verdades sobre a vacinação em gestantes

Como proteger o bebê quando ele ainda está na barriga? Vacinando as mães! As vacinas são importantes durante a gravidez, momento de descobertas e dúvidas para a mulher. Além de zelar pela própria saúde, a gestante transfere para o bebê os anticorpos obtidos com a vacinação ? primeiro por meio da placenta e, depois, pelo leite materno. Essa proteção é fundamental nos primeiros meses de vida da criança, já que o sistema imunológico ainda está se desenvolvendo e fortalecendo.

O Ministério da Saúde oferta gratuitamente, por meio do Programa Nacional de Imunizações, quatro vacinas para gestantes: dTpa (difteria, tétano e coqueluche); dT (difteria e tétano); hepatite B. Além disso, tem a contra gripe (influenza), que é ofertada durante campanhas anuais.

Mas ainda há muitos mitos sobre a vacinação durante a gravidez que precisam ser esclarecidos. Pensando nisso, o Blog da Saúde conversou com a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Carla Domingues para sanar algumas dessas dúvidas.
É prejudicial aplicar mais de uma vacina ao mesmo tempo na gestante?
Não! Vários estudos têm demonstrado a possibilidade de as grávidas tomarem mais de uma vacina ao mesmo tempo. Quando a gestante for vacinar contra a gripe, por exemplo, pode aproveitar a oportunidade e atualizar a caderneta de vacinação. Mas, em todas as situações, deve se seguir o que for orientado pelo profissional de saúde e também quais vacinas estão indicadas no Programa Nacional de Imunizações (PNI) para gestantes.

Mercúrio em vacinas causa problema nas grávidas?
Não! O timerosal é um conservante à base de mercúrio que tem sido utilizado durante décadas em frascos multidose (frascos que contêm mais do que uma dose) de algumas vacinas para evitar a contaminação por bactérias e fungos. Os estudos sobre esse assunto indicam que as vacinas contendo timerosal não são prejudiciais e mostram que as baixas doses de tiomersal não causam danos. A substância pode estar associada com reações locais, como vermelhidão e inchaço no local da injeção. A OMS considera um produto seguro para uso em vacinas.

Existe alguma vacina que gestantes não podem tomar?
Sim! Na rotina de vacinação a gestante não deve ser vacinada com vacinas vivas e atenuadas, que contém agentes infecciosos vivos, mas extremamente enfraquecidos, como a BCG, tríplice viral e varicela. Se uma mulher não sabe que está grávida e for vacinada com esse tipo de vacina, ela deve ser acompanhada pelo serviço de saúde capaz de acompanhar qualquer reação e/ou problema de saúde em decorrência da vacina.

Atenção para a vacina da febre amarela! Apesar de evidências científicas demonstrarem que vacinas como febre amarela e tríplice viral não causam danos fetal, por precaução, não se recomenda a vacinação durante a gestação. Mas, em situação de surto da doença, as gestantes, independentemente da idade gestacional, não vacinadas ou sem comprovante de vacinação deve considerar o risco de adquirir a doença e, por causa disso, vacinar. É o serviço de saúde quem deve avaliar, caso a caso, o risco/benefício da vacinação.

A vacina da gripe causa gripe na gestante?
Não! Nem na gestante e nem em ninguém. A vacina da gripe usa vírus inativado (morto) em sua composição, portanto, NÃO é possível que provoque a doença causada pelos 3 tipos de vírus contidos na vacina.

A combinação antibiótico e vacina é perigosa para quem está grávida?
Não! A vacina em gestantes pode ser administrada com segurança mesmo que a pessoa esteja usando antibiótico.

A gestante pode tomar vacinas se estiver doente?
É preciso que a gestante faça uma avaliação em um serviço de saúde para saber se o caso específico requer adiamento ou contraindicação da vacina. O profissional de saúde quem deve orientar a gestante nesses casos!

Luíza Tiné, para o Blog da Saúde
Fonte: Blog da Saúde ANVISA
Link: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/servicos/53841-mitos-e-verdades-sobre-a-vacinacao-em-gestantes

Veja também

10 razões para não misturar bebidas alcoólicas com medicamentos10/05 CRF-SP faz alerta sobre os riscos que essa perigosa combinação pode acarretar Durante um tratamento de saúde, são muitos os que ficam com dúvidas que envolvem o uso de um determinado medicamento junto com bebidas alcoólicas. Neste cenário, o Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP) faz um alerta à população sobre os riscos à saúde que a perigosa combinação entre álcool e medicamentos pode......
Longevidade das empresas de saúde12/06 O processo de fusão de aquisição no setor de saúde pode ajudar as empresas a ganharem mais musculatura para enfrentar as turbulências no mercado de assistência médica privada. Desde 2015, mais de 3 milhões de pessoas perderam seus planos de saúde, de acordo......
Pesquisa mostra importância de programas de fidelidade em farmácias12/04 Os programas de fidelidades estão em alta nas farmácias, com a população buscando cada vez mais esses benefícios. Esse é um dos resultados que a Febrafar apresentou com a Pesquisa de Comportamento do Cliente na Farmácia 2019. Segundos os dados, a......

Voltar para Notícias