Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 11 de Julho às 08h19

Visitas regulares ao oftalmologista previnem as principais doenças oculares

Admirar as cores, pessoas, objetos, a natureza e ter a percepção das coisas pelo olhar, traduzir a realidade pelos olhos faz parte de quem tem o privilégio da visão. Apesar disso, muitas vezes esquecemos de dar atenção necessária para esse órgão tão importante.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cegueira afeta 39 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 60% das cegueiras são evitáveis. E por que isso ocorre? Segundo Eduardo Soares, oftalmologista do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina e vinculado à Rede Ebserh, um dos principais motivos para essas complicações da visão, são a falta de informação e de consultas ao oftalmologista. ?É preciso chamar atenção para a prevenção das doenças que afetam a visão e levam a cegueira?, alerta o médico.

As doenças oculares mais comuns são a catarata, o glaucoma, a degeneração macular relacionada à idade, a retinopatia diabética e a conjuntivite. ?Temos que ter mais atenção nas campanhas de prevenção dessas doenças, principalmente com glaucoma, que é uma doença que a pessoa não sente nada, mas é uma das principais causas de cegueira no mundo?, explica Eduardo.

E quando devemos consultar um profissional de saúde? Coceira no canto do olho, olhos lacrimejando excessivamente e outros incômodos podem ser sinais de que algo não vai bem. Uma outra coisa importante, é fazer consultas periódicas com ao oftalmologista, isso ajuda a prevenir as doenças que causam cegueira impedindo uma série de problemas ocular.

O Blog da Saúde mostra as principais características das doenças oculares mais comuns.

Conjuntivite
Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, ataca os dois olhos e não costuma deixar sequelas. Ele pode ocorrer de forma viral ou bacteriana. Na forma viral os olhos ficam muito vermelhos e lagrimejam bastante, mas nem sempre ficam com secreção. Na forma bacteriana, que é a mais conhecida, os olhos ficam com bastante secreção e, apesar do aspecto ser pior, costuma durar entre três a cinco dias. A viral depende do organismo da pessoa, as defesas do corpo precisam estar em dia para combater o vírus.

Causas

Pode ser causada por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (poluição, fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc.). A mais comum delas é aquela que pegamos pelo ar.

Glaucoma
Doença que acomete os olhos e é provocada pela elevação da pressão ocular. É uma doença que não tem cura e quando não é tratada pode levar à cegueira. Essa doença pode se desenvolver durante meses ou anos sem apresentar nenhum sintoma. Os sintomas só aparecem na fase mais avançada, quando a pessoa começa a esbarrar nas coisas, pois está perdendo a visão periférica (vê bem o que está na sua frente, mas não enxerga o que está dos lados). Por isso, é importante a ida ao oftalmologista periodicamente.

Catarata
Doença dos olhos em que a visão fica opaca. Ocorre principalmente em decorrência do envelhecimento, porém, existem casos de catarata congênita (de nascença) ou provocada por fatores como exposição demasiada ao sol sem óculos apropriados.

Degeneração macular relacionada à idade
A principal causa de perda da visão depois dos 50 anos é a degeneração da mácula ? uma pequena área localizada na porção central da retina, que contém a maior densidade de fotorreceptores e é responsável pela percepção de detalhes.

Essa degeneração é causada por depósitos de restos celulares, que formam as drusas (cristais no fundo do olho), destroem os fotorreceptores e provocam proliferação anormal de vasos sanguíneos sob a retina. Como consequência, surgem cicatrizes que afetam a integridade da mácula e comprometem a visão central e a capacidade de distinguir cores.

Há dois tipos de degeneração macular:

a) Atrófica ou seca (90% dos casos): pode evoluir lentamente e provoca perda gradual da visão;

b) Exsudativa ou úmida: responsável por 10% dos casos, costuma ser de instalação abrupta e pode provocar perda total da visão.

Nas fases mais precoces, a perda visual costuma ser pouco perceptível. À medida que a enfermidade evolui, aparecem os seguintes sintomas: visão borrada, pontos luminosos, manchas no centro da visão (escotomas), diminuição da sensibilidade aos contrastes de luz, dificuldade de adaptação ao escuro, linhas distorcidas e tortuosas, necessidade de iluminação mais intensa para ler.

*Portal Drauzio Varella

Retinopatia diabética
A doença é caracterizada pela lesão dos pequenos vasos sanguíneos que nutrem a retina. Os sintomas da doença são progressivos. O primeiro sinal é a vista embaçada, seguida de manchas turvas no campo visual. Aos poucos, a visão começa a ficar cada vez mais turva, podendo caminhar para uma hemorragia nos vasos sanguíneos oculares. Quando o tratamento é feito logo no início, 95% dos pacientes conseguem recuperar completamente a visão. Se o problema é detectado no começo, a terapia se resume a controle de glicemia e pressão, junto com alimentação balanceada.

*Portal Drauzio Varella

Luíza Tiné, para Blog da Saúde

Veja também

Aprovada nova opção de tratamento para o câncer22/03 Produto é o primeiro biossimilar do bevacizumabe a ser registrado no Brasil Mais uma opção de tratamento para o câncer passa a estar disponível no mercado. É que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta segunda-feira (11), o registro do medicamento biológico Mvasi (bevacizumabe). O produto é o primeiro......
IBGE inicia pesquisa sobre a saúde no Brasil30/08 A pesquisa do IBGE sobre a saúde no Brasil contará com entrevistas a 108,5 mil domicílios em 2.167 municípios brasileiros O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) começou a coleta de dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019. Ao todo,......
Um bom layout pode te ajudar a identificar público-alvo da loja14/03 Muitos pontos de venda (PDVs) têm seu espaço reduzido ou insuficiente, tendo em vista a quantidade de produtos que podem ser comercializados nas farmácia Por isso, a escolha do portfólio deve ser estratégica e bem estudada, já que, nestes casos, não é......

Voltar para Notícias