Quero ser cliente
Central de Vendas 54 99694 8391
Postado em 18 de Março de 2019 às 08h23

Conheça novas estratégias para combater a desidratação das mãos

Baixa umidade e temperatura levam a uma diminuição da função da barreira cutânea e torna a pele mais ressecada e reativa, sofrendo com alergias principalmente a componentes de produtos de limpeza, que acabam irritando mais o tecido cutâneo das mãos

Além do rosto, uma área muito afetada por fatores climáticos é a mão. Isso porque essa área que tem pouca produção de hidratação natural fica geralmente exposta a todos os tipos de agressores, desde o sol e vento até produtos de limpeza. ?Com a alteração nas concentrações de lipídeos cutâneos, a pele das mãos sofre desordens severas, com alteração na barreira de permeabilidade, além de irritação e inflamação?, afirma Lucas Portilho, consultor e pesquisador em Cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma. ?A baixa umidade e temperatura levam a uma diminuição da função barreira cutânea e a um aumento da susceptibilidade ao estresse mecânico. Além disso, o hábito de tomar banhos mais quentes e demorados no inverno diminui a proteção natural da pele, que fica mais seca e se torna mais reativa aos irritantes e alérgenos?, completa.

De acordo com o especialista, uma boa estratégia para combater o problema é abusar dos cremes com rica composição para alta hidratação da pele. Ele cita alguns ativos que ajudam e muito a resolver o problema:

Vitamina E ? com ação antioxidante, emoliente e propriedades fotoprotetoras, o ingrediente é muito indicado para ajudar a pele na hidratação e contra agressores externos.

Óleo de Oliva ? entre os componentes, destaca-se os secoiridoides que tem capacidade de modular os processos relevantes do envelhecimento.

Óleo de Semente de Uva ? possui elevado teor de alfatocoferol, ácido linolêico e palmítico, responsáveis pela regeneração e manutenção do tecido cutâneo, além de atuar como antioxidante.
Ácido Hialurônico ? polissacarídeo naturalmente presente na derme e que tem elevada capacidade de retenção de água. Além disso, forma um filme protetor que melhora as condições da pele.

Ceramide III ? promove hidratação durável e alta capacidade de retenção de água por possuir estrutura idêntica às ceramidas da pele. É capaz de reforçar a barreira lipídica natural contra a desidratação e envelhecimento.

Niacinamida: Forma amida da Vitamina B3, o ativo diminui a inflamação, a perda transepidermal de água e aumenta a espessura do estrato córneo.

Pantenol: Também chamada de Pró-Vitamina B5, tem ação hidratante e mantenedora da integridade cutânea.

O especialista também destaca que algumas fórmulas podem priorizar ações como a de clareamento, já que as mãos são áreas susceptíveis ao aparecimento de manchas causadas principalmente pelo sol. ?A Vitamina C, que tem ação clareadora, por atuar na diminuição da síntese de melanina, pode ser adicionada em fórmulas com alfa-arbutin e ácido kójico?, afirma Lucas. ?Mas é sempre importante lembrar que a fotoproteção deve ser diária, com FPS de no mínimo 30, com reaplicação sempre que necessário?, finaliza.

Fonte: SEGS
Link: https://www.segs.com.br/saude/160864-conheca-novas-estrategias-para-combater-a-desidratacao-das-maos

Veja também

Qualidade do ar na Grande São Paulo melhora nos últimos 10 anos23/07/19 A região metropolitana de São Paulo registrou melhora na qualidade do ar nos últimos 10anos, diz relatório divulgado hoje (18) Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). São, ao todo, 39 municípios, sendo que a capital, sozinha, tem uma frota de cerca de 9 milhões de veículos. Desde 2008, não é ultrapassada a marca estabelecida pelo decreto estadual que regulamenta os padrões de qualidade do ar para o......
Não medicamentos indicam retomada e crescem mais de 10% no 1º tri27/05/19 Segundo a Abrafarma, resultado está bem acima dos registrados em 2017 e 2018 As vendas de não medicamentos voltaram a crescer dois dígitos, depois de dois anos consecutivos com altas inferiores a 5%. De acordo com a Associação Brasileira de Redes de......
Desafios da inovação no setor farmacêutico brasileiro24/09/19 No Brasil, o setor farmacêutico e de saúde ainda enfrentam muitos desafios para inovar. A burocracia e a falta de incentivo aos projetos influenciam negativamente nessa jornada Apesar de já existirem iniciativas de sucesso, o ambiente de inovação no Brasil......

Voltar para Notícias