Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 13 de Março de 2019 às 14h07

Estudo internacional aponta novos benefícios da VITAMINA D

Nutriente também pode ser usado como protetor entre crianças asmáticas obesas

Um novo estudo descobriu que a vitamina D pode ser protetora entre crianças asmáticas obesas que vivem em ambientes urbanos com alta poluição do ar em ambientes fechados. A pesquisa, da Escola de Medicina da John Hopkins University e financiada pelo Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental (NIEHS), foi publicada no Journal of Allergy e Clinical Immunology (Jornal de Alergia e Imunologia Clínica).
?A equipe do estudo identificou muitos fatores que tornam as crianças suscetíveis a problemas de saúde causados ??pela poluição do ar em toda a cidade de Baltimore?, explicou a administradora do programa de centros de pesquisa de saúde ambiental infantil do NIEHS, Kimberly Gray.
De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, uma em cada 12 crianças nos EUA sofre de asma, o que totaliza 6,1 milhões de crianças no país. Além disso, a asma afeta desproporcionalmente as populações de minorias urbanas, como as crianças negras. A maior poluição do ar em ambientes fechados, proveniente de fontes como fumaça de cigarro, cozimento, queima de velas e incenso, está ligada a maiores problemas respiratórios, incluindo o agravamento dos sintomas da asma e mais visitas hospitalares. ?Em estudos científicos anteriores, percebemos que a vitamina D era uma molécula que pode influenciar a asma, afetando as vias antioxidantes ou relacionadas com o sistema imunológico?, afirmou o principal autor do estudo, Sonali Bose.

Conclusões do estudo sobre a vitamina D
Bose explicou que, no momento em que o estudo estava sendo concebido, os pesquisadores observavam deficiências de vitamina D nos EUA. ?Ficou muito claro que os afro-americanos estavam em maior risco de deficiência desta vitamina, particularmente crianças negras?, disse ela. ?Também percebíamos um fardo pesado de asma em crianças pertencentes a minorias do centro da cidade. Parecia que a deficiência de vitamina D e a asma eram coincidentes e interagiam de alguma forma.?

No geral, eles descobriram que ter níveis baixos de vitamina D no sangue estava relacionado aos efeitos respiratórios prejudiciais da poluição do ar em ambientes fechados entre crianças obesas com asma. Por outro lado, nos lares que tiveram a maior poluição do ar em ambientes fechados, os níveis mais elevados de vitamina D no sangue foram associados a menos sintomas de asma em crianças obesas.

O estudo indica que a maneira de aumentar os níveis de vitamina D no sangue é aumentar a exposição ao sol, mas isso nem sempre é possível em ambientes urbanos, ou em pessoas com pigmentação da pele mais escura. Assim, outra opção é a complementação via suplementos alimentares, ou com a ingestão de alimentos que são ricos neste nutriente, como peixes gordurosos, cogumelos ou alimentos fortificados com vitamina D, como pão, suco de laranja ou leite.

Fonte: Guia da Farmácia - (https://guiadafarmacia.com.br/estudo-internacional-aponta-novos-beneficios-da-vitamina-d/)

Veja também

Brasil consome 56,6 milhões de caixas de calmantes e soníferos08/07/19 Em 2018, vendeu-se o equivalente a 1,4 bilhão de comprimidos de apenas oito princípios ativos Os brasileiros compraram, em 2018, mais de 56,6 milhões de caixas de medicamentos calmantes e soníferos. Sendo assim, mais de 6 mil caixas vendidas por hora ou, aproximadamente, 1,4 bilhão de comprimidos em um ano. Os números são do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) junto à Agência......
Projeto de Lei sobre MIPs em supermercados é arquivado25/03/19 Mais do que uma vitória para o mercado farmacêutico, uma conquista para a saúde da população. Após um ano de tramitação, a Câmara dos Deputados decidiu arquivar o Projeto de Lei nº 9482/2018. De autoria do parlamentar Ronaldo Martins (PRB-CE), a proposta......
Finalizado teste inicial do sistema de rastreabilidade de medicamentos08/05/19 Após um ano de testes e participação de mais de 15 empresas, entre indústrias, distribuidoras, farmácias e hospitais, a Anvisa concluiu, no último dia 28 de abril, a fase experimental do Sistema Nacional de rastreabilidade de medicamentos (SNCM). Foram......

Voltar para Notícias