Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 08 de Maio de 2019 às 13h21

Finalizado teste inicial do sistema de rastreabilidade de medicamentos

Após um ano de testes e participação de mais de 15 empresas, entre indústrias, distribuidoras, farmácias e hospitais, a Anvisa concluiu, no último dia 28 de abril, a fase experimental do Sistema Nacional de rastreabilidade de medicamentos (SNCM). Foram movimentadas, apenas no último mês, mais de 40 mil unidades de medicamentos serializados e com o Datamatrix nas embalagens, desde sua produção na indústria até a recepção nas farmácias. As informações dessas movimentações foram transmitidas para o protótipo do SNCM desenvolvido com apoio do Grupo de Gestão e Automação em Tecnologia da Informação (Gaesi) da Universidade de São Paulo (USP), solução que foi instalada no ambiente da Anvisa e permitiu a validação dos requisitos e conceitos especificados.
A Lei 13.410/2016 prevê mais três anos, a partir de agora, para a completa implementação desse sistema, período que o setor terá para se adaptar às novas regras com base no cronograma a ser definido. ?Com grande satisfação tornamos público o Relatório da Fase Experimental do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos, que embasará as principais ações a serem realizadas nesta etapa que se sucede. Os próximos três anos de implementação possibilitarão maior coesão entre os elos da cadeia de medicamentos e os agentes públicos, onde o maior beneficiado com o controle será o cidadão, que terá acesso a medicamentos mais seguros?, afirmou o diretor-presidente da Agência, William Dib.
Segundo a gerente geral de Monitoramento da Anvisa, Fernanda Rebelo, a rastreabilidade de medicamentos vem trazer mais segurança para os medicamentos disponíveis para consumo pela população, uma vez que assegura a procedência desses produtos e permite ações mais efetivas do seu recolhimento por questões de qualidade, desvio ou roubo, trazendo também mais segurança para produtores e outros integrantes da cadeia de comercialização dos medicamentos.

Os encaminhamentos após a conclusão da fase experimental são:

Definir proposta de cronograma de implementação do SNCM, conjuntamente com o Comitê Gestor.
Publicar consulta pública com a proposta de implementação para receber contribuições de todos os impactados pelo SNCM.
Publicar resolução ratificando os requisitos validados na fase experimental.
Manter o ambiente para testes e desenvolvimento do SNCM relativos a operações e requisitos específicos de determinados produtos, operações e empresas.

Fonte: Panorama Farmacêutico
Link: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/05/07/finalizado-teste-inicial-do-sistema-de-rastreabilidade/

Veja também

Brasil consome 56,6 milhões de caixas de calmantes e soníferos08/07/19 Em 2018, vendeu-se o equivalente a 1,4 bilhão de comprimidos de apenas oito princípios ativos Os brasileiros compraram, em 2018, mais de 56,6 milhões de caixas de medicamentos calmantes e soníferos. Sendo assim, mais de 6 mil caixas vendidas por hora ou, aproximadamente, 1,4 bilhão de comprimidos em um ano. Os números são do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) junto à Agência......
Indústria pede 28 novos medicamentos isentos de prescrição15/03/19 Ao longo de 2019, novas liberações de MIPs devem começar a acontecer A indústria farmacêutica pediu que um grupo de 28 medicamentos receba a chancela de ?isentos de prescrição médica? pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo dados da......
Ministério da Saúde faz campanha publicitária de alerta sobre tuberculose25/03/19 O público-alvo são homens de 25 a 40 anos, população mais afetada pela doença. O tratamento precoce e sem interrupção é essencial para a cura da tuberculose Para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose e ampliar o acesso à informação, o Ministério da......

Voltar para Notícias