Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 20 de Março de 2019 às 08h25

Quebra de patentes e genéricos são estratégias para futuro dos laboratórios farmacêuticos

Um estudo elaborado pela consultoria BCG mostrou o futuro dos laboratórios farmacêuticos nacionais. Um balanço geral dos dados mostra que eles têm sido bem-sucedidos e conseguiram conquistar uma posição de mercado diferenciada.

Segundo Fernanda Zanetti, uma das especialistas envolvidas na pesquisa, o sucesso das empresas pode ser explicado por uma fórmula que envolve a cópia de moléculas blockbuster em genéricos. ?Passamos por um grande processo de quebra de patentes, e os laboratórios nacionais foram bastante hábeis em aproveitar esse momento?, opina.

Além disso, notou-se um bom aproveitamento dos laboratórios em um momento de menor competição, seja local ou de competidores globais que atuam com genéricos. Foi possível, nesse período, desenvolver capacidades comerciais diferenciadas de atuação no mercado.

Outro ponto levantado pelo estudo observou também um aumento na intensidade competitiva, concedendo aos compradores um poder de barganha muito maior, dado que o setor farmacêutico tem passado por um intenso movimento de consolidação.

?Esses dados nos dão a oportunidade de discutir possíveis caminhos, o que deve ser ponderado; e estar olhando para esse problema em um momento bastante oportuno, que as empresas estão bem posicionadas, têm caixa, têm crescimento e margem para sustentar essa nova guinada estratégica?, aponta.

Entretanto, a consultora faz uma ressalva. ?Alguns elementos dessa fórmula de sucesso dão sinais de que ela pode estar entrando em um período de esgotamento. Daqui para frente, não necessariamente, nós teremos quebras de patentes tão interessantes como a gente teve no passado?, conclui Fernanda.

Fonte/Link: https://www.doisamaisfarma.com.br/home/quebra-de-patentes-e-genericos-sao-estrategias-para-futuro-dos-laboratorios-farmaceuticos/

Veja também

Idosos que tomam vitamina D têm melhor memória, mas maior risco de queda15/03/19 Um estudo feito com mulheres idosas mostrou que a ingestão de três doses de vitamina D a mais do que a recomendação diária provocou uma melhora na memória e no aprendizado das voluntárias, mas piorou o tempo de reação delas. Os pesquisadores acreditam que tempo de reação mais lento pode aumentar o risco de queda entre os idosos. Com o consumo da vitamina D em alta entre idosos, a pesquisa, publicada no periódico......
Número total de agrotóxicos liberados em 2019 já soma quase 30025/07/19 Segundo o Greenpeace, de todos produtos liberados até agora, 32% são de agrotóxicos não permitidos na União Européia. Mantendo o ritmo recorde de aprovações de agrotóxicos, o governo liberou, nesta segunda-feira, mais 51 venenos no mercado brasileiro,......
Inca convoca doadores de medula óssea para atualizar dados cadastrais25/09/19 Doadores de medula óssea cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) estão sendo convocados pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) para atualizar seu cadastro. ?As pessoas mudam de endereço,......

Voltar para Notícias