Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 09 de Setembro de 2019 às 10h52

Tratamento oral para câncer de mama metastático requer atenção

Principais elos da oncologia alertam sobre a necessidade de se explorar melhor o potencial de impacto do tratamento oral para câncer de mama metastático

O impacto positivo que os tratamentos orais podem trazer para a qualidade de vida dos pacientes com câncer de mama metastático foi um dos destaques de um dos simpósios da edição 2019 do Todos Juntos Contra o Câncer, realizado entre os dias 3 e 5 de setembro, em São Paulo (SP). O evento contou com mais de três mil participantes, 150 palestrantes e, dentre vários temas relevantes, abordou as principais questões que envolvem o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo. Assim, atrás apenas do de pele não melanoma, correspondendo a cerca de 25% dos novos casos a cada ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Para repercutir o assunto, foi organizada uma mesa composta por médico especialista em oncologia, representantes de associações de pacientes e com a participação de quem têm a doença. A mesa apontou para um caminho unânime em relação aos tratamentos orais de última geração para o câncer de mama metastático no Brasil. Esse cainho é compreender o potencial desse tipo de terapia. Assim, o desafio agora é discutir os mecanismos para ampliar o acesso.
Nesse contexto, o debate foi guiado pela necessidade que todos os envolvidos no processo, cheguem a um mesmo nível de entendimento sobre como evoluir na atualização de parâmetros, bem como políticas públicas que possam, nos âmbitos público e privado, aproveitar o grande potencial das novas terapias em prol de um nicho cada vez maior de pacientes.

Sobre o câncer de mama metastático
O câncer de mama é causado pela multiplicação desordenada de células da mama, processo que gera a multiplicação de células anormais, formando um tumor. Pelo fato de existirem vários tipos de câncer de mama, a doença pode evoluir de diferentes formas. Apesar de ser mais comum em mulheres, o câncer de mama pode acometer pelos menos 1% dos homens. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a característica própria de cada tumor.
No Brasil, esse percentual chega a 29%. Em 2018, a estimativa de incidência do câncer de mama foi de 59.700 novos casos. Ainda de acordo com o INCA, a doença é mais comum na região Sul do país, seguido pelo Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Fonte: Eli Lilly and Company

Veja também

Projeto de lei reconhece atuação de farmacêuticos na área da estética14/05/19 Segundo CFF, ação deve abrir caminho para novos postos de trabalho O Deputado Fred Costa (Patri/MG) com apoio do Conselho Federal de Farmácia (CFF) e de outros conselhos profissionais da área da Saúde protocolou, no dia 08.05, o Projeto de Lei (PL) nº 2717 que dispõe sobre o reconhecimento da Saúde Estética como área de atuação de profissionais de Biologia, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e......
Anvisa recebe 16 pedidos ao dia para importar Canabidiol22/07/19 Demanda de pedidos para importar Canabidiol em 2019 está prestes a ultrapassar a de todo o ano passado. Em 2018, foram ao todo 3.613 demandas A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu em média 16 pedidos diários de pacientes para importar......
Idosos que tomam vitamina D têm melhor memória, mas maior risco de queda15/03/19 Um estudo feito com mulheres idosas mostrou que a ingestão de três doses de vitamina D a mais do que a recomendação diária provocou uma melhora na memória e no aprendizado das voluntárias, mas piorou o tempo de reação delas. Os pesquisadores acreditam que......

Voltar para Notícias